Exames


  • Bacilo diftérico (Corynebacterium diphtheriae)

    • Descrição
      Corynebacterium diphtheriae é o agente da difteria. Nos seres humanos, o C. diphtheriae pode se alojar no trato respiratório superior ou na pele. A difteria apresenta tempo de incubação de dois a quatro dias e manifesta-se com febre, odinofagia e tosse, seguindo-se da formação de pseudomembrana característica e linfonodomegalia cervical. Pode evoluir com complicações, tais como miocardite e paralisia de nervos cranianos. A pesquisa fornece diagnóstico presuntivo de difteria.
    • Método
      Microscopia - Coloração pelo Albert Laybourn e Gram.
    • Valor de referência
    • Condição
      Secreção de orofaringe, nasofaringe, lesões cutâneas ou outros materiais especificados pelo clínico.
  • Bacterioscopia (Gram)

    • Descrição
      O exame bacterioscópico ao Gram permite um estudo acurado das características morfotintoriais das bactérias e outros elementos (fungos, leucócitos, outros tipos celulares, etc). Presta informações importantes e rápidas para o início da terapia, fornecendo informação semiquantitativa em algumas infecções e estabelecendo o diagnóstico em muitos casos.
    • Método
      Microscopia - Coloração pelo Gram.
    • Valor de referência
    • Condição
      Qualquer material de região suspeita de infecção por microrganismo.
  • Beta-2-microglobulina

    • Descrição
      A beta-2-microglobulina é uma proteína de baixo peso molecular presente na superfície de todas as células nucleadas. É o componente de cadeia leve do complexo antígeno leucocitário humano classe I (HLA). Valores elevados são encontrados em um grande número de doenças, incluindo insuficiência renal (de qualquer etiologia), mieloma múltiplo, linfomas, neoplasias, inflamação crônica, amiloidose e imunodeficiências com complicações granulomatosas.
    • Método
      Imunofluorimetria
    • Valor de referência
      - SANGUE Até 60 anos: < 2 mg/mL > 60 anos : < 2,6 mg/mL - URINA 24h 30 a 330 mg/24 horas
    • Condição
      - SANGUE Jejum Desejado 4 h. - URINA Refrigerar.
  • Beta-caroteno

    • Descrição
      Os carotenóides são sintetizados a partir de vegetais e parcialmente convertidos ao retinol. O beta-caroteno é a pró-vitamina A mais comum e representa 25% dos carotenóides séricos. Níveis baixos de beta-caroteno, associados à diminuição da vitamina A, sugerem hipovitaminose A. Níveis elevados podem ser encontrados na alimentação rica em carotenóides (cenoura, espinafre), no hipotireoidismo, hiperlipidemia, gravidez e diabete melito. Níveis baixos são encontrados na carência de suprimento, má absorção, tabagismo, etilismo, cirrose e pós-gastrectomia.
    • Método
      Cromatografia Líquida de Alta Performance - HPLC
    • Valor de referência
      10 a 85 mcg/dL
    • Condição
      Jejum Obrigatório 8 h.
  • Big Prolactina

    • Descrição
      Trata-se da forma polimétrica da prolactina, de alto peso molecular, que é reconhecida pelos imunoensaios para prolactina. As diferentes formas de PRL, monomérica (little) e polimétricas (big e big big prolactina – macroprolactina) podem coexistir no mesmo indivíduo. Na maioria dos portadores da macroprolactina, os níveis de PRL são menores que 100ng/mL. A macroprolactina pode estar presente em indivíduos de ambos os sexos com hiperprolactinemia laboratorial e função gonodal normal, embora haja relato de desordens menstruais e galactorréia em alguns pacientes com macroprolactina, sugerindo que ela tenha alguma atividade biológica. É possível a associação de macroprolactina com qualquer outra causa de hiperprolactinemia e ela pode responder por até 26% dos casos de hiperprolactinemia. O método de precipitação com polietilenoglicol (PEG) é utilizado como rastreio para macroprolactinemia (big-prolactina), associada à hiperprolactinemia laboratorial, assintomática, que ocorre devido a presença de outras formas circulantes de prolactina de maior peso molecular. Monômero de prolactina: 23-kDa. Outras formas circulantes: 50 a 60-kDa (Big-prolactina) 150 a 170-kDa (Big-big prolactina)
    • Método
      Imunofluorimetria
    • Valor de referência
      Recuperação < 30%: Big Prolactina Recuperação > 65%: Ausência de Big Prolactina Recuperação entre 30 e 65%: Indeterminado
    • Condição
      Jejum Desejado 4 horas.
  • Bilirrubinas, dosagem

    • Descrição
      A bilirrubina é um produto de quebra da hemoglobina no sistema retículo-endotelial. É conjugada no fígado para, a seguir, ser excretada na bile. O teste é útil para o diagnóstico diferencial de doenças hepatobiliares e outras causas de icterícia. A icterícia torna-se clinicamente manifesta quando a bilirrubina total é maior que 2,5 mg/dl. Causas de aumento da bilirrubina direta (conjugada): doenças hepáticas hereditárias (Dubin-Johnson, Rotor), lesão de hepatócitos (viral, tóxica, medicamentosa, alcoólica) e obstrução biliar (litíase, neoplasias). Níveis de bilirrubina direta maiores que 50% dos valores totais são sugestivos de causas póshepáticas. Causas de aumento da bilirrubina indireta: anemias hemolíticas, hemólise autoimune, transfusão de sangue, reabsorção de hematomas, eritropoiese ineficaz e doenças hereditárias (Gilbert, Crigler-Najar). Uso de drogas que ativam o sistema microssomal hepático podem reduzir as bilirrubinas.
    • Método
      Colorimétrico
    • Valor de referência
      Total : até 1,2 mg/dL Direta : até 0,4 mg/dL Indireta: até 0,8 mg/dL
    • Condição
      Proteger da luz.
  • Bilirrubinas, pesquisa na urina

    • Descrição
      Normalmente não se encontra bilirrubina na urina. Esta é derivada do metabolismo da hemoglobina no sistema retículo-histiocitário. Seu aparecimento é patológico, ocorrendo quando a bilirrubina sérica encontrase acima de 2mg/dL, à custa de bilirrubina direta (ex.: icterícia colestática, hepatocelular).
    • Método
      Colorimétrico
    • Valor de referência
      Negativo
    • Condição
      - Enviar rapidamente ao laboratório.
  • Biotinidase, triagem neonatal

    • Descrição
      É utilizado para triagem da deficiência de atividade da biotinidase no Teste do Pezinho. A deficiência da biotinidase é uma doença autossômica recessiva que leva à pouca disponibilidade de biotina, cofator para atividade de várias enzimas. A deficiência pode ser profunda (<10% da atividade) ou parcial (10% a 30% das atividades). As formas graves cursam com alterações do SNC (ataxia, convulsões, retardo neuropsicomotor, hipoacusia), cegueira, alterações de pele e anexos. O diagnóstico precoce permite reposição oral da biotina, o que pode reverter o quadro clínico.
    • Método
      Enzimático colorimétrico
    • Valor de referência
      Normal
    • Condição
      Colher preferencialmente entre 3 e 30 dias de vida.
  • Bromazepam

    • Descrição
      O bromazepam (Lexotanâ, Somaliumâ) é um benzodiazepínico usado como hipnótico, ansiolítico e miorrelaxante. Seu pico plasmático ocorre 2 horas após sua absorção, estando 70% da droga ligada às proteínas plasmáticas. Apresenta meia-vida de 20 horas e metabolismo hepático, sendo sua depuração influenciada por drogas que alteram o sistema microssomal hepático.
    • Método
      Cromatografia Líquida de Alta Performance - HPLC
    • Valor de referência
      0,08 a 0,2 mg/mL
    • Condição
      - Coletar de preferência antes da próxima dose do medicamento - Jejum Desejado do medicamento de 8h ou Conforme Orientação Médica