Exames


  • Zinco protoporfirina

    • Descrição
      É um indicador biológico decorrente da interferência do chumbo na síntese do heme e correlaciona-se bem com o chumbo sangüíneo. A zincoprotoporfirina (ZPP) pode permanecer elevada por anos nas intoxicações severas, em razão da inibição da síntese do heme pelo chumbo depositado e posteriormente liberado. A NR- 7 estabelece valores de referência e IBMP para a ZPP na monitorização da exposição ao chumbo. A ZPP é o melhor indicador de exposição crônica que o chumbo sangüíneo por apresentar meia-vida mais longa (67 dias). Na exposição crônica, o pico de ZPP ocorre em 6 a 9 meses, enquanto o pico do chumbo sangüíneo ocorre em 3 a 6 meses. Após a eliminação da exposição, a ZPP pode permanecer acima dos valores de referência por até 2 anos. A ZPP tem menor especificidade, alterando-se em outras condições (anemia ferropriva, hemolítica e de doenças crônicas). Estudo em trabalhadores expostos mostrou que o achado de ZPP aumentada e chumbo sangüíneo em faixa não tóxica pode predizer concentrações tóxicas de chumbo sangüíneo com seis meses de antecedência, podendo, assim, indicar toxicidade incipiente.
    • Método
      Hematofluorimétrico
    • Valor de referência
      Até 40,0mg/100mL (NR-7, 1994, MT/BR) IBMP: 100,0mcg/100mL (NR-7, 1994, MT/BR)
    • Condição
      5,0mL de sangue total (heparina).Momento de amostragem “não crítico”, desde que o trabalhador esteja em trabalho contínuo nas últimas 4 semanas sem afastamento maior que 4 dias. Recomenda-se iniciar a monitorização após 1 mês de exposição.
  • Zinco, líquido seminal

    • Descrição
      O zinco no líquido seminal é usualmente normal ou elevado na hipertrofia prostática benigna e diminuído no adenocarcinoma de próstata. Pacientes com prostatite bacteriana crônica apresentam redução de até 80% na concentração do Zn no líquido seminal. Existe uma associação estatística entre níveis baixos de zinco no líquido seminal e infertilidade.
    • Método
      Espectrofotometria de absorção atômica (chama)
    • Valor de referência
      > 150mg/L
    • Condição
      1,0mL esperma.
  • Zinco, sangue

    • Descrição
      O Zinco (Zn) é um oligoelemento essencial, amplamente encontrado na natureza, sendo, após o ferro, o segundo oligoelemento mais abundante no corpo humano. A principal aplicação industrial do Zn é na galvanização de aço e outros metais. A dosagem do Zn sérico não é um indicador patognomônico de intoxicação ou deficiência desse metal. Os níveis séricos são insensíveis para deficiências leves, alterandose apenas em deficiências moderadas a graves, e podem se apresentar normais em quadros de intoxicação. A dosagem do zinco eritrocitário é utilizada com os mesmos fins da sérica, tendo a particularidade de apresentar valores 4 a 10 vezes mais altos que os do soro.
    • Método
      Espectrofotometria de absorção atômica (chama)
    • Valor de referência
      70,0 a 120,0mg/dL
    • Condição
      2,0mL de soro.
  • Zinco, urina

    • Descrição
      O zinco urinário é usado para avaliar toxicidade e deficiência de Zn em conjunto com os níveis sérico e eritrocitário. Zinco urinário elevado na presença de zinco sérico baixo pode ocorrer na cirrose hepática, etilismo, neoplasias, hepatite viral, drepanocitose, períodos pós-operatórios, uso de nutrição parenteral total e aumento do catabolismo. Zinco urinário e sérico diminuídos podem ser encontrados na deficiência do metal. Algumas drogas podem elevar o Zn urinário: bumetamida, clortalidona, cisplatina, furosemida, hidroclorotiazida, naproxeno, penicilamina e triantereno.
    • Método
      Espectrofotometria de absorção atômica (chama)
    • Valor de referência
      180 a 850mg/L
    • Condição
      - 50,0mL de urina (urina início ou final jornada de trabalho - urina recente - urina 24h). - Não colher após ejaculação. - Não colher em local de trabalho. Retirar o uniforme, lavar as mãos e a genitália antes de colher. - Recomenda-se coletar urina final de jornada de trabalho.